É um desafio, e também uma alegria, trabalhar com comunicação na era digital. Se antes tínhamos muito bem definidos os meios e as mensagens – aliás, ‘o meio (ainda) é a mensagem’, segundo Marshall McLuhan, e com quem concordo -, hoje temos uma profusão de canais de comunicação on e off-line, que nos permitem trabalhar um mesmo conteúdo das mais variadas maneiras.

Por exemplo, o lançamento de um produto requer um detalhado planejamento em diversas frentes: forte atuação do marketing na análise do produto, da distribuição e do público-alvo; em comunicação, assessoria de imprensa (com estratégias diferentes para pautar os variados tipos de veículos on e off-line), planejamento de mídia da agência de publicidade [com a criatividade a mil para dar conta do gerenciamento do (em geral) pouco budget para comprar espaços], estratégia digital (Google Adwords, Facebook Ads, landing pages etc) e as mais variadas formas de ativação de PDV e promoções.

E o que essa grande variedade de recursos significa? Primeiro: que planejamento representa aí cerca de uns 70% de um bom resultado. Isso, claro, com base em uma grande dedicação ao estudo que vai embasar esse planejamento, que basicamente envolve: imersão no mercado, detecção de concorrentes e de timing, análise estratégica do público-alvo e de quais mídias este público consome (e quando as consome), pontos fortes e fracos do produto frente ao mercado etc. Por isso que eu digo que uma boa consultoria em comunicação ou uma boa agência de comunicação é aquela que entende o negócio do cliente de cabo a rabo. E que PRECISA (sim!) investir muito tempo e neurônios em pesquisa e planejamento. Não adianta fugir: o trabalho não será bem executado se por detrás não houver horas de pesquisa e de planejamento. Repito quantas vezes for necessário: planejar é preciso.

A profusão de recursos em comunicação na era digital também significa que hoje não é necessário ser uma grande empresa para impactar seu público-alvo. A era digital proporcionou formas de comunicação com ótimo custo-benefício. As estratégias de ‘marketing de conteúdo’, ou melhor, ‘conteúdo personalizado’, não requerem grandes somas de dinheiro, porém requerem grande investimento (mais uma vez) de pesquisa e planejamento. Parcerias com outras empresas e até mesmo com formadores de opinião no ambiente digital também são práticas de grande valia. O que meu público também consome? Quem ele enxerga como referência? Um conteúdo atrativo nas redes sociais da mesma forma é uma ótima forma de se comunicar (com eficiência e com bons resultados) com seu público-alvo, sem ter que desembolsar dezenas de milhares de reais de uma só vez.

Claro que uma grande empresa, com um grande budget de comunicação e marketing, poderá fazer um barulho gigante com todas as ferramentas acima – incluindo aí uma linda e grande campanha em mídia aberta, premiada em Cannes -, mas isso não significa que as pequenas e médias não consigam seu espaço e brilhem da mesma forma, se houver um primoroso trabalho em pesquisa e planejamento focados nesta área.

Por Júnia Braga