A ideia que existe na cabeça precisa ter a pretensão de acontecer. Ou: mãos à obra!

julho 31, 2015 / comunicação

Parafraseando Lulu Santos, quando temos uma ideia em comunicação na empresa ou para um cliente, automaticamente precisamos pensar nas condições de concretização dela. O que vivi bastante, nos últimos 10 anos de experiência na área, foi o seguinte:

– Vamos fazer isso, isso e aquilo!
– Legal, vamos!

E morreu.

Por N motivos: não havia recursos financeiros, não havia material humano, não havia planejamento, não havia método, não havia motivação, enfim. Há mais circunstâncias que negativam uma ideia do que o contrário.

Porém, no mundo globalizado em que vivemos, no qual ‘inovação’ é palavra de ordem de todos os negócios (a fim de serem e/ou continuarem sustentáveis), por em prática a ideia é fundamental para o seu sucesso – e o do seu cliente.
E como vamos transformar em realidade a ideia que existe na cabeça?

Primeiro: descobrindo TODAS as formas pelas quais ela pode ser concretizada. Se o budget cobre os investimentos, sé possível colocá-la em prática por meio de parcerias, se é viável angariar apoios ou patrocínios, se e como dá pra bancar. Depois, a implementação: se há a cultura organizacional equivalente e propícia, se há equipe engajada e recursos humanos, se a direção abraça e endossa a ideia, se há método de execução da mesma. Em terceiro: se há métricas de avaliação durante a execução da ideia, para revisá-la se for necessário, se os resultados que estão acontecendo estão dentro das metas, se os objetivos estão parecendo possíveis. Por fim: se a ideia deu certo, trazendo o resultado almejado.

Todo esse parágrafo acima depende de muito trabalho e dedicação. Principalmente de coragem. Planejamento também é fundamental, tanto como resiliência, pois ideias novas sempre encontram muitas barreiras. Ter método, ser forte e decidido é importante para levá-la adiante.

Gosto muito daquela frase atribuída a Thomas Edison: “genialidade é 1% inspiração e 99% transpiração”. Acredito que ele sabia o quanto ideias geniais dependem de muito trabalho para sua concretização e por isso resumiu desta maneira a genialidade.

Então, mãos à obra e vamos ter TODA a pretensão de fazer acontecer as ideias que existem na cabeça! 😉

Por Júnia Braga